Transformação Digital: organize suas ideias com 5 questões

November 28, 2017

É expressiva a quantidade de organizações públicas e privadas que estão conduzindo projetos de Transformação Digital. As que não estão vivendo projetos como este já estão considerando criar.

Em um evento no final de 2015, o Gartner, IDC e Forrester fizeram previsões de que nos próximos 5 anos (até 2020) TODAS as organizações passariam por significativas mudanças digitais. Cunharam até termos específicos, como DX Economy (Economia da Transformação Digital), Algorithmic Business (Organizações Algorítimo), Programmable Economy (Economia Programável) etc. Pode até ser que essa previsão não se concretize totalmente, mas que as organizações de maneira geral estão caminhando para essa transformação é fato!

 

Tenho visto várias organizações caindo em erros previsíveis ou estão sendo superficiais nos seus Projetos de Transformação Digital ou estão simplesmente perdidos. Por este motivo, decidi fazer este artigo simples com 5 Questões que devem ser consideradas antes de iniciar, ou durante, um Projeto de Transformação Digital para "testar" sua coerência.

 

1o) Você está propondo um Upgrade Digital ou uma Transformação Digital?

Já vi algumas organizações tornarem o espaço de trabalho diferente (exemplo: trocarem as cadeiras por cadeiras coloridas) e tornarem o processo de "bater ponto" mais inteligente e dizerem que estão forte no processo de transformação digital!!

Transformação Digital é transformar o seu modelo de negócio. Não é o mesmo que automatizar processos de negócio.

Em termos práticos, isso quer dizer que a tecnologia é o meio para transformar a oferta do serviço. Desenvolver e disponibilizar um App não é o objetivo final. 

Alguns bons exemplos: 

  • Transformou a oferta de serviço de transporte urbano: UBER;

  • Transformou a oferta de serviço de hospedagem: AirBnB;

  • Transformou a oferta de serviço de crédito: Nubank;

  • Transformou a oferta de serviço de seguro: Youse.

Sendo um pouco mais acadêmico: 

 

Transformação Digital quer dizer mudar significativamente a Proposição de Valor, a Cadeia de Valor e/ou o Cliente-Alvo, apoiado por mudanças tecnológicas nos Produtos/Serviços ofertados, na Tecnologia de Processos e/ou em uma Tecnologia Capacitadora.

 

(Obs.: estou utilizando acima o conceito de Alavancas da Inovação. Vejam o livro As Regras da Inovação: como gerenciar, como medir e como lucrar.)

 

2o) A cultura Ágil está no nível corporativo?

A adoção da cultura Ágil é a chave para o sucesso da transformação digital. 

Entretanto, em muitas organizações somente a área de TI já abraçou essa ideia. 

A adoção da cultura Ágil tem a ver com, basicamente, com três pontos:

 

a) Planejar pequeno e realizar pequeno (sprints).

Para ser mais responsivo às mudanças frequentes do ambiente, é interessante que não mais haja aquele extenso e longo planejamento antes de partir para a execução. Agora, a ideia é, por exemplo, utilizando um CANVAS DE PROJETO (veja um que eu desenvolvi aqui) fazer um planejamento global, participativo e colaborativo e depois partir para execução por partes - detalhando o planejamento e executando cada entrega. 

Importante: isso não quer dizer que não há necessidade de ter um Plano Estratégico Corporativo. Pelo contrário. Isso quer dizer que seu desdobramento em projetos e programas, bem como o seu monitoramento e controle devem ser muito bem feitos. Mais bem feito do que antigamente.

 

b) Equipes pequenas e com autonomia.

Jeff Bezos, CEO da Amazon, utiliza a "Regra das Duas Pizzas" para definir o tamanho ideal de uma equipe. Isto é, uma equipe deve se satisfazer com 2 pizzas. Se 2 pizzas foi muito para a equipe, ela está pequena; Se for pouco, ela está grande. 

Equipes pequenas são como um grupo de elite (um Squad, em inglês). As pessoas ficam tão afinadas, complementares e ao mesmo tempo conhecem bem o trabalho do outro que os resultados obtidos são melhores e mais rápidos.

Além disso, é importante aumentar a autonomia dessas equipes. De forma que elas possam tomar decisões sobre mudanças e interagir com o cliente.

Para isso estabeleça MISSÕES CLARAS e PRINCÍPIOS DE ATUAÇÃO para cada equipe.

 

c) Autogestão da equipe.

Basicamente, isso significa que a equipe regula sozinha o comprometimento, o engajamento, a distribuição da tarefa e o controle do trabalho. Não é necessário um chefe em cima de todo mundo supervisionando. 

Para fazer isso rodar, uma dica simples e que apresenta resultado é implementar um KANBAN. O Kanban é um método visual e intuitivo para controlar o fluxo de trabalho. Normalmente, coloca-se um cartaz na parede, em um lugar visível a todos, com 3 colunas: A Fazer, Fazendo e Feito. Assim, é possível que todos vejam, e por isso controlem, o trabalho que tem para ser feito (A Fazer), o trabalho que está em andamento e quem está fazendo (Fazendo) e o trabalho que já foi concluído e quem concluiu (Feito). 

 

3o) A área de Gestão de Pessoas está envolvida?

Enquanto a cultura Ágil é a chave para o sucesso da transformação digital, as pessoas são pré-requisito! É impossível fazer uma transformação digital sem pessoas capacitadas, motivadas e comprometidas. Além disso, como a Transformação Digital muda o modelo de negócio, é muito provável que algumas funções e cargos deixem de existir, bem como outras sejam alteradas. Nesse sentido, a área de Gestão de Pessoas deve estar envolvida desde o início do processo de Transformação Digital. E envolvido (só para ficar claro) não somente como um prestador de serviço, mas principalmente como um formulador ativo da estratégia de transformação.

Basicamente, a área de Gestão de Pessoas, deve contribuir com o MAPEAMENTO DAS COMPETÊNCIAS E DAS CAPACIDADES existentes (as is) e das necessárias (should be) para a Transformação Digital.

 

4o) Existe um Projeto de Transformação Digital?

Para a Transformação Digital ser uma ação consciente e integrada (e não uma série de ações mal coordenadas), com um Escopo bem definido, com as partes interessadas mapeadas e engajadas, com premissas, restrições e riscos identificados e gerenciados é fundamental a construção de um Projeto de Transformação Digital que, na prática, será um Programa. Um Programa porque é com certeza serão desenvolvidas várias ações (ou seja, projetos) verticais (nas áreas) e horizontais (cross áreas). E a gestão coordenada de vários projetos com foco no benefício é chamada de Gestão de Programa.

 

5o) Que tal começar por uma Mudança Digital?

O custo de entrar em um Projeto de Transformação Digital é relativamente alto. Alto no sentido amplo, isto é, em termos de valor a ser investido, de capacidade, de conhecimento e também ter gente suficiente para a empreitada.

Nesse sentido, às vezes é interessante começar o processo de Transformação Digital com uma mudança digital em algum produto, serviço ou área da organização. Com um projeto menor é possível aprender e até mesmo mensurar e estimar melhor o projeto corporativo de Transformação Digital. Outro ponto positivo de começar pequeno é que dando errado é mais fácil gerenciar as questões políticas e não matar de vez a ideia da transformação digital; se der certo, já começa com um sucesso rápido, o que motiva mais ainda o engajamento para o projeto corporativo. Pense nisso!

 

Se você gostou desse artigo: compartilhe. É só clicar no botão mais abaixo. 

Também ficarei muito feliz em ouvir a sua opinião.

 

Abs e sucesso sempre!

 

WL

 

Ps: 

Se você quiser citar esse artigo ou parte dele em seu trabalho profissional ou acadêmico basta copiar a referência a seguir: RIBEIRO, Wankes L. Transformação Digital: organize suas ideias com 5 questões. Disponível em: http://www.wankesleandro.com/ Acesso em dd/mm/aaaa.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Recent Posts