Please reload

Recent Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Featured Posts

Guia PMBOK 6a Edição: quais são as principais novidades?

 

 

Estamos na iminência do lançamento da nova edição do Guia PMBOK, que está prevista para ser lançada entre Julho e Setembro de 2017.

Muitos que não são filiados ao PMI, e por isso não tiveram a oportunidade de ver o exposure draft (rascunho) da 6a Edição para comentários da comunidade, estão curiosos para saber quais são as novidades.

Então, vamos a elas...

(atualização 21/Junho/2017): Agora, o colega e parceiro Victor Rascop, um dos melhores professores de curso preparatório para a certificação PMP do Brasil, também assina este artigo. 

 

Considerações inicias

No geral, as mudanças nos agradaram. O novo Guia PMBOK, além de conversar melhor com o Ágil, também se aproximou do Prince2, ao dar mais ênfase no conhecimento estratégico e de negócios (considerar e discutir documentos como Plano de Negócios/Business Case e o Plano de Gerenciamento de Benefícios), o que na nossa opinião consolida e mantém o Guia PMBOK como a referência guarda-chuva no tema Gerenciamento de Projetos.

Também gostamos muito (muito mesmo!) da maior ênfase  dada ao que deveria ser mais feito na prática: o Process Tailoring, que é a customização dos processos às características de cada projeto. Acreditamos que isso proporcionará às pessoas que gostam de atuar totalmente "by the book" a flexibilidade mental necessária para entender que cada projeto é um projeto e, como tal, as boas práticas de gerenciamento de projetos devem ser adaptadas a cada caso concreto em si.

 

As novidades do Guia PMBOK 6a Edição

4 mudanças me chamaram mais atenção na nova versão do Guia PMBOK.

  1. a incorporação do Ágil.

  2. o novo capítulo sobre o papel do Gerente de Projetos.

  3. a mudança no nome de algumas áreas de conhecimento.

  4. o novo processo de gestão do conhecimento.

Outras mudanças interessantes também ocorreram, como a criação de uma nova estratégia de resposta aos riscos mas, como dissemos, na nossa opinião, as 4 acima foram as que mais nos chamaram a atenção. Se você quiser conhecer a lista completa das mudanças do PMBOK 6a Edição, recomendamos que acesse o artigo do colega Mauro Sotille que, como sempre, é bastante preciso e detalhista nas suas colocações. Clique aqui.

Quem quiser ler um bom artigo sobre as mudanças no PMBOK 6a Edição em inglês para dar aquela treinada básica no inglês técnico clique aqui.

 

1. A incorporação do Ágil no Guia PMBOK

Talvez a mudança mais relevante, ou que certamente irá gerar mais "barulho", é a incorporação mais completa do Ágil, que na versão vigente do Guia PMBOK. 

Dentro de cada área de conhecimento terá uma sessão chamada Abordagens para Ambientes Ágeis, Iterativos e Adaptativos (Approaches for Agile, Iterative and Adaptive Environments), que descreverá como essas práticas se integram na construção de um projeto. 

Se quiser, leia o texto original do PMI em ingles aqui.

 

OBS.: O PMBOK e o Ágil representam para muitos duas forças opostas. Rolam briguinhas, tretas e animosidades entre quem defende o PMBOK e quem defende o Ágil. Tretas bem parecidas como entre as pessoas que defendem a Apple e as que defendem a Samsung. Acreditamos que essa incorporação do PMBOK e outro movimentos do PMI, como a aproximação com a Agile Alliance para o lançamento de um Guia Ágil nos moldes do PMBOK (veja figura abaixo de uma publicação da conta do PMI no Twitter), deve finalmente acabar com essa divisão e promover a colaboração "entre as correntes".

 

2. O novo capítulo sobre o papel do Gerente de Projetos

 

O PMI lançou há pouco tempo um Triângulo do Talento (PMI Talent Triangle™), que representa a combinação de Habilidade Técnicas de Gerenciamento de Projetos, com a Liderança e o Conhecimento para a Gestão Estratégica e de Negócios, e são essenciais para um Gerente de Projetos agregar valor, ser competitivo e ter sucesso. O PMI Talent Triangle tem orientado várias práticas do PMI, desde a manutenção da certificação PMP, até a organização da grade de eventos.

Nesse sentido, é super natural que o PMBOK tenha uma capítulo dedicado ao papel do Gerente de Projetos, em que o triângulo é apresentado e discutido.

Ressaltamos que o número de capítulos do PMBOK não foi alterado. Para que esse novo capítulo fosse adicionado, o conteúdo dos capítulos 1 a 3 da 5a Edição foram revisados e condensados nos 2 primeiros capítulos da nova Edição; e o novo capítulo sobre o papel do Gerente de Projetos virou o 3o capítulo. 

 

3. A mudança no nome de algumas áreas de conhecimento

 

O nome de 2 áreas de conhecimento foram alteradas.

  • Gerenciamento do Tempo: que passará a ser Gerenciamento do Cronograma.

Essa mudança faz todo sentido do ponto de vista conceitual. Afinal, quem consegue gerenciar o tempo? Já diziam os Gregos pelo Deus Titã Chronos, em que é impossível fugir do tempo, todos mais cedo ou mais tarde são vencidos (devorados) por ele; e pelo Deus Kairós, em que o tempo passado não se pode pegar (por isso Kairós era careca atrás da cabeça, sendo impossível agarra-lo depois que ele passava por nós). Enfim, nós conseguimos (quando muito) gerenciar o cronograma. Em que pese ser uma mudança somente conceitual, acreditamos que será mais fácil para as pessoas entenderem e aprenderem essa área de conhecimento.

 

  • Gerenciamento de RH: que passará a ser simplesmente Gerenciamento de Recursos. 

Gostamos muito dessa mudança. Antes o gerenciamento de pessoas era abordado na área de conhecimento de RH e o gerenciamento dos bens e serviços ficava diluído e nada explícito entre as áreas de conhecimento de Tempo e Aquisições. Agora, com a mudança do nome, o gerenciamento das pessoas, materiais e equipamentos são abordados na área de conhecimento de Gerenciamento de Recursos.

 

4. O novo processo de gestão do conhecimento

 

3 novos processos foram criados e 1 excluído. Assim, partimos de 47 processos na 5a Edição para 49 processos na nova Edição. 

Além disso, tiveram outras mudanças nos nomes. Como eu disse no início deste artigo, para saber mais acesse o artigo do colega Mauro Sotille (aqui) ou o artigo em inglês (aqui).

 

Novos processos:

  • Gerenciar o Conhecimento no Projeto

pertence ao grupo de processo de Execução e área de conhecimento de Integração.

  • Implementar Respostas aos Riscos

pertence ao grupo de processo de Execução e área de conhecimento de Riscos.

  • Controlar Recursos

pertence ao grupo de processo de Monitoramento & Controle e área de conhecimento de Recursos (antiga área de RH).

 

Processo excluído:

  • Encerrar Aquisições

Esse processo foi absorvido pelos processos Controlar as Aquisições e Encerrar o Projeto ou Fase.

 

Voltando ao novo processo de Gestão do Conhecimento, apesar dessa prática ser algo transversal no projeto, ou seja, que deveria ser praticada em cada processo, achamos muito interessante o PMI ter resolvido explicita-la. Alguns defendem que deveria ser criada uma área de conhecimento para ela. Nesse caso, nossa opinião é que ficaria muito esquisito uma área de conhecimento de Gerenciamento do Conhecimento. Por isso, achamos uma solução bastante elegante do PMI em incluir essa prática como um processo de integração. 

Se você gostou desse artigo: compartilhe. É só clicar no botão mais abaixo. Também ficarei muito feliz em ouvir a sua opinião.

 

Abs e sucesso sempre!

 

WL e Victor Rascop

 

Ps: 

Se você quiser citar esse artigo ou parte dele em seu trabalho acadêmico basta copiar a referência a seguir: RIBEIRO, Wankes L. RASCOP, Victor. Guia PMBOK 6a Edição: quais são as principais novidades? Disponível em: http://www.wankesleandro.com/ Acesso em dd/mm/aaaa.